Diálogos entre tradutores

Nos dias 18, 19, e 24 de novembro, FBN, UERJ e UFF promoverão três encontros com os tradutores participantes do Programa de Residência de Tradutores Estrangeiros no Brasil.

Irão participar do debate:

Bárbara Belloc nasceu em Buenos Aires, Argentina. Ensaísta, poeta e tradutora, tem nove livros publicados. Já verteu para o espanhol os ensaios de Oscar Niemeyer, Ana Cristina César e Helio Oiticica, além de obras de Hilda Hilst, Rubem Fonseca e Clarice Lispector, entre outros, a maioria em parceria com Teresa Arijón. No momento, trabalha na tradução dos ensaios de Ferreira Gullar extraídos dos livros Argumentação contra a morte da arte e Cultura posta em questão.

Didier Lamaison foi professor universitário de grego, latim e literatura francesa por mais de 20 anos, em Paris. No começo dos anos 80, viveu no Recife, onde foi leitor de francês na Universidade Federal de Pernambuco. Escritor, tradutor e ensaísta, tem três livros publicados no Brasil. Traduziu para o francês a poesia de Carlos Drummond de Andrade, Ferreira Gullar, Augusto dos Anjos, Fernando Pessoa, a prosa de Machado de Assis e Ana Maria Machado e as canções de Caetano Veloso e Chico Buarque, entre outras traduções. Em 2009, foi eleito sócio-correspondente da Academia Brasileira de Letras. No momento, trabalha na tradução das cartas de Clarice Lispector reunidas no livro Minhas queridas.

Kriton Iliopoulos traduziu mais de 50 livros de autores da América Latina, Espanha e Portugal. Além dos brasileiros Luis Fernando Veríssimo e Lima Barreto, traduziu, entre outros, os argentinos Pablo de Santis, o colombiano Santiago Gamboa, a cubana Zoé Valdés, o mexicano Carlos Fuentes, o peruano Alfredo Pita. Em 2013, foi premiado pela tradução de El clavo, do espanhol Pedro Antonio de Alarcón. No momento, trabalha na tradução de Os Bruzundangas, de Lima Barreto.

Petra Petrač formou-se, em Literatura Comparada, Latim, Língua e Literatura Portuguesa em Zagreb. Estudou em Lisboa como bolsista do Instituto Camões. No momento, cursa o doutorado na Universidade de Coimbra e na Faculdade de Letras de Zagreb. Foi premiada pela tradução de Liber facetiarum, do italiano Poggio Bracciolini. Traduziu o romance Canaã, de Graça Aranha, além de contos de Adriana Lunardi, João Anzanello Carrascoza, Ana Paula Maia e Michel Laub. No momento, trabalha na tradução de O mulato, de Aluísio Azevedo.

Não perca!

MOD_2_13-11_

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s