MinC promove a ida de empreendores e profissionais do livro à Feira de Guadalajara

O Ministério da Cultura divulgou recentemente um edital de seleção pública com o objetivo de apoiar a participação de empreendedores da economia criativa na Feira do Livro de Guadalajara, México, que acontecerá de 28 de novembro a 6 de dezembro de 2015.

FIL_Edital MinC

O edital é destinado a representantes de editoras, associações e grupos, fóruns, núcleos, coletivos literários, livreiros, curadores e agentes literários. Os empreendedores poderão representar a si próprios, a empresas ou a entidades sem fins lucrativos. As inscrições estão abertas entre os dias 14 de agosto e 13 de setembro de 2015 no sistema SALICWeb e o resultado da seleção está previsto para o mês de outubro. Mais detalhes estão disponíveis no edital http://tinyurl.com/edital-cultura-gov-br.

Esta é a primeira vez que o Ministério da Cultura lança um edital do programa Conexão Cultura Brasil #negócios, desenvolvido pela Secretaria de Políticas Culturais (SPC), voltado ao segmento literário. Em 2014, houve editais para as feiras ARCOmadrid, de arte contemporânea, em Madri; para a World Music Expo – WOMEX, de música, em Santiago de Compostela – ambas na Espanha; e para o festival Santiago a Mil, de artes cênicas, no Chile.

Cada selecionado receberá o valor de R$ 9.828,75 como ajuda de custo para despesas relacionadas à participação na FIL 2015, como transporte, seguro de viagem, alimentação, hospedagem, pagamento de taxas de participação no evento e taxas de bagagem.

Antes da viagem para a feira, nos dias 23 e 24 de novembro, os contemplados pelo edital irão a Brasília para uma capacitação que contará com representantes do MinC, da ApexBrasil, do mercado e da própria FIL Guadalajara. Esta etapa é obrigatória a todos os contemplados pelo edital.

Segundo os organizadores da FIL, o público total da edição de 2014 foi de cerca de 765 mil pessoas. Estiveram presentes mais de 20 mil profissionais e quase 2 mil editoras. Desde 2012, a FIL realiza anualmente atividades dedicadas à literatura brasileira no âmbito do programa “Destinação Brasil”, com apoio da Fundação Biblioteca Nacional, do Ministério das Relações Exteriores, da APEX e da Câmara Brasileira do Livro.

Aqueles interessados em candidatar-se ao edital poderão participar de uma oficina de mobilização que será realizada no Rio de Janeiro em 31 de agosto, às 16:00 horas, no Rio Criativo, localizado na Rua Frederico Silva, Praça 11, Centro. A participação na oficina deve ser confirmada pelo e-mail: Carmen.valdez@cultura.rj.gov.br .

Publicado em Editais, Eventos, Literatura brasileira no exterior | Marcado com , | Deixe um comentário

Quatro vezes Clarice

minhas queridas

O livro – MINHAS QUERIDAS é a correspondência de Clarice Lispector a suas irmãs Tania e Elisa. São 120 cartas inéditas e escritas entre 1940 e 1957 onde estão retratadas suas impressões sobre as cidades em passou acompanhando o marido diplomata, seu processo criativo e as reflexões sobre seus livros, o panorama político e cultural da época.

O autor – Desde a sua estréia aos 19 anos, com Perto do coração selvagem, a autora causou um forte impacto no público e na crítica. Clarice Lispector foi jornalista e escreveu romances, contos, ensaios e literatura infantil. É considerada uma das escritoras brasileiras mais importantes do século XX. Em sua obra o enredo é apenas pano de fundo, o que está em jogo de fato é o mundo interior dos personagens, seus mecanismos psicológicos, seus pensamentos. Seus textos falam sobre o processo de tomada de consciência por parte do personagem e sua postura a partir daí, em relação ao mundo. É o desequilíbrio interior que altera a vida do personagem, por isso os fatos externos são secundários em suas histórias.

O tradutorClaudia PoncionniClaudia Poncioni e Didier Lamaison. Claudia Poncioni é professora de Língua, Literatura et Civilização Brésileira e diretora do Centro de Pesquisas sobre os países lusófonos da Sorbonne
Nouvelle. Didider Lamaison foi professor universitário de grego, latim e literatura francesa por mais de 20 anos, em Paris. No começo dos anos 80, viveu no Recife, onde foi leitor de francês na Universidade Federal de Pernambuco. Escritor, tradutor e ensaísta, tem três livros publicados no Brasil. Traduziu para o francês a poesia de Carlos Drummond de Andrade, Ferreira Gullar, Augusto dos Anjos, Fernando Pessoa, a prosa de Machado de Assis e Ana Maria Machado e as canções de Caetano Veloso e Chico Buarque, entre outras traduções. Em 2009, foi eleito sócio-correspondente da Academia Brasileira de Letras. Ao traduzir Minhas queridas recebeu o apoio do Programa de Residência Didier Lamaisonde Tradutores Estrangeiros no Brasil -2014, projeto da Fundação Biblioteca Nacional com instituições parceiras: a Universidade Federal Fluminense; a Casa Guilherme de Almeida – Centro de Estudos de Tradução Literária (Secretaria de Estado de Cultura de São Paulo / POIESIS), e a Pós-Graduação em Estudos da Tradução da Universidade Federal de Santa Catarina.

A editora – Éditions Des femmess-Antoinette Fouque é uma editora francesa criada em 1973 por uma das fundadoras do movimento de liberação feminista francês.  O desejo de ver avançar as conquistas femininas é que motivou a criação da editora, além de uma livraria e galeria de arte.  Todas as lutas que as mulheres enfrentam, sejam elas individuais ou coletivas, e em qualquer campo de saber possuem espaço de divulgação através desta casa editorial.  Seu catálogo abarca literatura, artes, ensaios, teatro, filosofia, psicanálise, política e economia. Nele estão presentes, além de Clarice Lispector, as obras de Nélida Piñon e Ana Maria Machado.

volutinha

lacos de familiaLAÇOS DE FAMÍLIA

O livro – O livro trata do aprisionamento das pessoas através dos laços familiares, seus costumes, convenções e esteriótipos. É considerado por muitos como um dos melhores livros de contos da literatura nacional.

O tradutor – Ana Kuzmanovic-Jovanovic possui Phd em Análise do Discurso pela Escola de Filologia da Universidade de Belgrado e mestrado em lingüística histórica. É professora e pesquisadora de espanhol e português na Universidade de Belgrado.Traduziu entre outros autores, Jorge Amado e José Saramago para o sérvio.

A editora – Plato Books D.O.O. é uma editora da Sérvia, sediada em Belgrado, e a primeira a publicar um livro de Clarice Lispector, a autora brasileira chamou atenção do público sérvio ao ter alguns de seus contos publicados em revistas de literatura deste país.

volutinha

a paixao segundo GHA PAIXÃO SEGUNDO G.H.

O livro – Uma mulher, G.H., ao fazer uma faxina no quarto da empregada doméstica encontrar uma barata, que esmaga e come. Neste momento, a protagonista encontra a razão de estar no mundo. O leitor irá acompanhar a personagem, da qual não conhecemos o nome, apenas suas iniciais, em sua busca interior pelo conhecimento, pela sua verdade.

perto do coracao selvagemPERTO DO CORAÇÃO SELVAGEM

Este foi o romance de estréia de Clarice Lispector. A autora tinha apenas 19 anos quando, em 1944, seu livro foi lançado e causou enorme impacto nos círculos literários. O leitor acompanha a história de Joana, sua trajetória e a busca por algo que dê sentido a sua vida.  São as questões internas, a busca por um conhecimento pessoal, que dominam a narrativa.

O tradutor – Dan Munteanu Colan é professor universitário, doutor em Filologia Românica e pesquisador da língua falada no Caribe, o Papiamento, e suas relações com outras línguas latinas, como o romeno. Até 2005, coordenou junto com a Universidade de Brasília, um projeto sobre a língua creola e suas influências européias. Desde 2006 é pesquisador vinculado ao Instituto Interuniversitário de Estudos Ibero America e Portugal. É tradutor de espanhol e português para o romeno. Foi o tradutor para o romeno do livro Gabriela, Cravo e Canela, de Jorge Amado.

A editora – Univers é uma editora romena, que foi fundada em 1969 e está sediada em Bucareste. Desde a sua criação, a editora tem como objetivo publicar os livros mais importantes da literatura universal, oferecendo para o seu público traduções de qualidade. A literatura brasileira possui um importante espaço em seu catálogo que inclui importantes nomes como Érico Veríssimo, Jorge Amado, Manuel Bandeira, Machado de Assis, Graciliano Ramos, Antonio Olinto, Alberto Mussa e Clarice Lispector.

Publicado em Literatura brasileira no exterior, Obras apoiadas, Programa de Apoio à Tradução, Residência de Tradutores | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Teatro do Oprimido nas estantes Alemãs

Boal

Jogos para atores e não atores

O livro – Segundo o autor somos todos “espectatores”. O ser humano é um ator por excelência. Interpretamos papéis diferentes de acordo com a situação que estamos vivenciando. Assim, o teatro não precisa de um ambiente específico, de um palco, ele pode ser praticado até mesmo sem platéia, ou em um estádio de futebol, num elevador, numa praça pública ou dentro de uma sala de espetáculos..

O autor – Augusto Boal, formado em química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ e em teatro pela Universidade de Columbia (NY), foi diretor de teatro premiado, dramaturgo e ensaísta. Dirigiu o emblemático Show Opinião, símbolo de resistência contra a ditadura militar. Após ser preso e exilado, começa no exterior a desenvolver as bases teóricas do Teatro do Oprimido, que apresenta o teatro como instrumento de emancipação política e social. As técnicas e práticas do Teatro do oprimido acabaram por se difundir pelo mundo e hoje são estudadas e praticadas em mais de 50 países e em diversas áreas além do teatro, como educação, saúde mental e reabilitação de presidiários.

till baumannO tradutor – Till Baumann é formado em Pedagogia e Ciências da Educação pela Universidade Livre de Berlim, com ênfase em teatro e educação, especialmente, nas teorias de Augusto Boal e Paulo Freire. Desde 2002, implementou numerosos projetos e programas de formação em Teatro do Oprimido na Europa, África e América Latina e projetos de Teatro do Oprimido  em prisões na Alemanha e Argentina. Organizou e traduziu as oficinas de Augusto Boal e colaboradores do Centro de Teatro do Oprimido (CTO-Rio) e escreveu e traduziu textos sobre o assunto.

A editora – Suhrkamp é uma editora alemã, sediada em Berlim.  O lema da editora é publicar autores e não livros. Seu programa se baseia em dois pilares: literatura e ciência. Seu catálogo apresenta novos autores alemães e clássicos internacionais como Theodor W. Adorno, Walter Benjamin, Ernst Bloch, Hans Blumenberg, Jürgen Habermas, Luhmann, Gershom Scholem Samuel Beckett, James Joyce, Marcel Proust, Octavio Paz e Mario Vargas Llosa.

Publicado em Obras apoiadas, Programa de Apoio à Tradução | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

Clássicos brasileiros publicados no exterior

apocalisseO livro – Uma coletânea de contos fantásticos latino americanos escritos na virada do século XIX para o XX. São cinco histórias sobre o tema do fim do mundo contadas por autores de três países: Argentina, Brasil e México. Representam o Brasil nesta coleção, O fim do mundo de Joaquim Manoel de Macedo – considerado um dos primeiros textos de ficção científica no Brasil, e Aluísio Azevedo, com o conto Demônios. A Argentina, os autores Leopoldo Lugones com Chuva de fogo e Roberto Arlt com Lua Vermelha e o México, Amado Nervo, com o conto A última guerra. Este livro é o resultado de um projeto que contou com o Apoio da Fundação Biblioteca Nacional em parceria com o Ministério das Relações Exteriores e também com o apoio do Programa “Sur” de tradução do governo argentino.

Joaquim_Manuel_de_Macedo_1866 (ABL)Os autores – Joaquim Manoel de Macedo, o autor de A moreninha – considerado o primeiro romance brasileiro, foi médico, jornalista, professor de História e Geografia no Colégio Pedro II e sócio fundado do IHGB.Aluisio_Azevedo (ABL)

Aluísio Azevedo foi diplomata, jornalista, dramaturgo e caricaturista. É o celebrado autor de O Cortiço e de O Mulato, que é considerado o primeiro romance naturalista brasileiro.

CATTARULLA_C_mapfre 2014O tradutor – Camilla Cattarulla – é escritora, professora e diretora do curso de doutorado em Estudos Euro-Americano na Universidade de Roma Tre.  Giorgio De Marchis é escritor  e professor de Literatura e Português do Brasil na Universidade Roma Tre. Como tradutor, verteu para o italiano diversas obras de escritores portugueses, brasileiros e angolanos.

isauraA escrava Isaura

O livro – O livro é representante do romantismo regionalista e foi escrito em plena campanha abolicionista. É a história de uma escrava, que nasce branca e por este motivo é apadrinhada pelos donos da fazenda que lhe educam, mas não lhe dão a liberdade. Após a morte destes, torna-se vítima de seu novo senhor, Leôncio, o filho devasso de seus antigos donos.

Bernardo_Guimarães O autor – Bernardo Guimarães foi jurista, jornalista, professor, poeta e escritor. A consagração foi conquistada em 1875, com o lançamento de “Escrava Isaura”. Foi autor de outras várias obras como “O Ermitão de Muquém”, “O seminarista” e “O Garimpeiro”. Muitos críticos consideram sua poesia Cecilia_Martini_Bonadeo-2superior a prosa e o precursor brasileiro da poesia surrealista.

o tradutor – Cecilia Martini é professora, editora e tradutora. Formada pela Università degli Studi di Roma Ter em Língua e Literatura Estrangeira, traduziu Kate Chopin, F. Scott Fitzgerald, Tabish Kahir e Raquel Ochoa.

A editora – A  Nova Delphi Livros, que está sediada em Roma, optou por um projeto cultural que também deseja ser um projeto político: propor textos capazes de estruturar resistência à cultura dominante.  Para tanto buscaram novas vozes, tanto da narrativa, como autor indiano Tabish Khair ( O ônibus parou), quanto do pensamento crítico, como o intelectual uruguaio Raúl Zibechi (Territórios em Resistência). Apresentaram pela primeira vez ao público italiano o relatório de John Reed (América vermelha ) e Jack London (Jogos de guerra  e  luta de classes).  Também estão em seu catálogo os jogos de cativeiro de Sacco e Vanzetti (Não chore a minha morte  e  os outros devem ter medo) e o volume fundamental de Paul Avrich ( Rebeldes no Paraíso) dedicados ao movimento anarquista nos Estados Unidos a partir do início dos anos 1900. Da América Latina, encontramos autores como Leopoldo Lugones ( Histórias fatal ) e Horacio Quiroga (Anaconda e senhorita Dorothy Phillips, minha esposa), Gianni Tarquini, autor da única biografia do presidente uruguaio, Pepe Mujica (Presidente impossível) e muitos outros.

volutinha


analise-do-poema-horas-vivas-de-machado-de-assis-aproximacoes-com-o-romantismo.html

O autor – Machado de Assis é o maior expoente da literatura brasileira. Foi cronista, contista, dramaturgo, jornalista, poeta, novelista, romancista, crítico e ensaísta. Fundador e primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras. Seu romance “Memórias Póstumas de Brás Cubas” de 1881 é o marco inicial do realismo no Brasil.

O livro – Seleção de contos de Machado de Assis, publicados originalmente em Papéis Avulsos (1882), Histórias sem data (1884), Várias Histórias (1896), Páginas recolhidas (1899) e  Relíquias da casa velha (1906).

machadoantologiaO tradutor – Pirkka Valkama já traduziu o autor João Paulo Cuenca com a bolsa do Programa de Apoio à Tradução da FBN.

A editora – Sammakko é uma editora finlandesa, sediada em Turku. Foi fundada em 1996.  Publica em torno de 40 novos títulos a cada ano, de autores finlandeses e estrangeiros nos mais variados gêneros literários.

Publicado em Literatura brasileira no exterior, Obras apoiadas, Programa de Apoio à Tradução | Marcado com , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Olhares brasileiros sobre o país e a América Latina são publicados no exterior

mitologia dos orixasMitologia dos Orixás

O livro – Fruto de uma extensa pesquisa, o livro reúne todos os mitos da religião dos orixás. São 301 relatos mitológicos sobre os deuses da cultura Nagô, que atravessaram o atlântico com os navios negreiros, sobreviveram e prosperaram em países como Cuba e Brasil.

Reginaldo PrandiO autor – Reginaldo Prandi é doutor em sociologia, professor do departamento de Sociologia da USP e pesquisado do CNPq. Foi um dos fundadores do Instituto Datafolha, do jornal Folha de S. Paulo. Seu foco de estudos atualmente é sociologia da religião, com ênfase nas religiões afro-brasileiras, evangélicas e católica. É autor de mais de 30 livros, com temas que vão de sociologia e mitologia a infantojuvenis e ficção policial. Em 2001, foi agraciado com o prêmio Érico Vannucci em reconhecimento por seu trabalho de preservação da memória da cultura brasileira.

BRUNO BARBA 3 O tradutor – Bruno Barba é pesquisador de Antropologia na Faculdade de Língua e Literatura Estrangeira da Universidade de Gênova e escritor de diversos livros sobre diversos temas da cultura brasileira e religiões afro-brasileiras.

pedro-rafael-artista-plastico-e-ilustrador-de-livros

O Ilustrador – Pedro Rafael é artista plástico e ilustrador. Já ilustrou diversos livros no Brasil e no exterior. Em 2003,  foi vencedor do Prêmio Revelação da FNLIJ por seu trabalho no livro Ifá, o Advinho, de Reginaldo Prandi.

A editora – A Casa Editrice Laboratorio Editoriale é uma editora sediada em Florença, na Itália com tradição na publicação de livros nas mais diversas áreas do conhecimento: antropologia, questões da atualidade, crítica literária, cultura popular, publicação universitárias, etnologia, filologia, filosofia, ciências da informação, ciências jurídicas, ciência política, sociologia, história, tecnologia, urbanismo. Recentemente o interesse da editora expandiu também para literatura, não-ficção e ficção infantil.

volutinha

caeO mundo não é chato

O livro – Este livro é uma antologia textual de Caetano Veloso e que foi compilada pelo poeta e crítico Eucanaã Ferraz.  Lá estão textos de quando Caetano ainda era crítico de cinema em Santo Amaro da Purificação, escritos para jornais e revistas, prefácios e conferências, contracapas de discos e alguns inéditos. É um relato sobre o Brasil, onde várias personalidades como Oswald de Andrade, Garcia Lorca, Fernando Pessoa, Tom Jobim, Bob Dylan, Visconti, Jimi Hendrix e vários outros surgem através de suas críticas e olhar afiado.

caetano facesinterfacesblogspotcombrO autor – Caetano Veloso é um músico de grande importância no cenário brasileiro. Sua obra musical é considerada de grande valor intelectual e poético. É também arranjador, produtor e escritor. Em 1998 publicou o livro Verdade tropical.

Florencia_Garramuno (San Andrés)corteO tradutor – Florência Garramuño é diretora do Programa de Cultura Brasileña da Universidad de San Andrés na Argentina e Álvaro Fernández Bravo é escritor e professor de línguas e literatura, também na Universidade de San Andrés.

A editora – Marea é uma editora argentina, fundada em dezembro de 2003 a partir de um projeto cultural desenvolvido por um grupo de profissionais do setor. Seu catálogo é formado por cinco coleções que abordam gêneros como a investigação jornalística, história, ensaios, romances e contos. Cada um dos títulos publicados se destacam pela qualidade de seus textos, a originalidade e o cuidado na edição.

volutinha

raizes do brazilRaízes do Brasil

O livro – Aclamado como um dos marcos fundadores da moderna historiografia e sociologia brasileira. O Autor apresenta temas da cultura brasileira e como padrões da colonização ibérica ainda estão presentes e nos influenciam e destaca como característica principal o personalismo acima de todos os interesses coletivos.

Sergio Buarque de HolandaO autor – Sérgio Buarque de Holanda, pai de Chico Buarque, foi
historiador, crítico literário, jornalista e professor. Participou do Movimento Modernista como correspondente da revista Klaxon no Rio de Janeiro e durante sua trajetória participou na direção de importantes instituições culturais, como Biblioteca Nacional, instituto Nacional do Livro e Museu Paulista. Além de Raízes do Brasil é autor de outras obras importantes: O homem cordial, Caminhos e Fronteiras, Visão do Paraíso, Monções, Clara dos Anjos entre outros.

Taras TsymbalO tradutor – Taras Tsymbal já traduziu as obras: The Modern World-System, vol. I: Capitalist Agriculture and the Origins of the European World-Economy in the Sixteenth Century de Immanuel Wallerstein, The Great Warming: Climate Change and the Rise and Fall of Civilizations, de Brian Fagan, Pandora’s Seed: The Unforeseen Cost of Civilization, de Spencer Wellls, entre outros títulos.

A editora – Calvaria Publishing House Foundation é uma editora ucraniana que publica importantes autores locais e o melhor da literatura mundial. Em seu catálogo encontramos nomes como Francis Fukuyama, Samuel Huntington, Susan Sontag, Jean Baudrillard, Antoine de Saint-Exupery, Eric-Emmanuel Schmitt, Federico Garcia Lorca, Jorge Luis Borges, entre outros.

volutinha

a nova toupeiraA nova toupeira

O livro – Um ensaio sobre política econômica na América Latina e brasileira, analisando o papel do neoliberalismo nos atuais governos latino-americanos.

Emir_Sader wikO autor – é filósofo, sociólogo, jornalista, professor da faculdade de filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, é secretário executivo  do Conselho Latino- Americano de Ciências Sociais (Clacso) e coordenador-geral do laboratório de Políticas Públicas da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Foi vencedor do prêmio Jabuti em 2006, na categoria Livro de não-ficção.

O tradutor – Zbigniew Marcin Kowalewski traduz para o polonês obras acadêmicas e literárias em português, espanhol e francês. Já traduziu obras de Ladislau Dowbor, Luis Martínez Andrade, Carlos Aguirre Rojas, Etienne Balibar, Daniel Bensaid, Didier Daeninckx, Michel Husson, Samir Amin, Thierry Jonquet e Isabel Allende.

A editora – A fundação e editora Instytut Wydawniczy Ksiazka i Prensa (Instituto Editorial Prensa e Livro) é uma editora polonesa, com sede em Varsóvia, seu catálogo oferece títulos sobre variados assuntos como política internacional, questões sociais e economia.

 

Publicado em Literatura brasileira no exterior, Obras apoiadas, Programa de Apoio à Tradução | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Norte e Nordeste brasileiros são temas de livros traduzidos no exterior

caldeiraopCaldeirão: A guerra dos beatos

O livroCaldeirão é um romance histórico, que se passa no interior do Ceará. O autor narra a criação do Arraial Caldeirão, pelo o beato José Lourenço e a destruição da comunidade pelas forças militares em 1937. A história é relatada por um velho sobrevivente a um repórter de jornal. A associação com outros movimentos semelhantes como Canudos, a Guerra do Contestado e outros movimentos mais recentes, é inevitável.

Claudio_AguiarO autor – Claudio Aguiar é romancista, ensaísta, dramaturgo, biógrafo e poeta. Recebeu diversos prêmios, inclusive no exterior. Tem mais de 25 títulos publicados, com obras já traduzidas para o espanhol, francês e russo.

alfredo-perez-alencart-foto-de-elena-diaz-santana (internet)espelhoO tradutor – Alfredo Pérez Alencart e Jacqueline Alencar Polanco. Alfredo P. Alencart nasceu no Peru e mora em Salamanca, na Espanha. Além de tradutor é professor, ensaísta e poeta premiado. Seu livro Cristo da alma foi publicado no Brasil, em 2011.

A editora – Editorial Verbum é uma editora de Madri, Espanha. Em seu catálogo, com mais de mil títulos, encontramos outro livro de Claudio Aguiar: El Rey de los bandidos, sobre o famoso Lampião. O livro ganhou o Prêmio Ibero-americano de Narrativa “Miguel de Unamuno” de 2009.

crédito da foto do autor: Pen Club do Brasil.  Crédito da foto do tradutor: Rui Ricardo Diaz.

volutinha

A tigre do SertãoA história de Bernarda Soledade – A Tigre do Sertão

O livro –  A história de Bernarda Soledade é uma narrativa sobre disputas de poder: as desavenças entre famílias por questões de terras e as relações de poder entre homens e mulheres, através da sexualidade.

Raimundo carrero Copyright  Rodolfo AraújoO autor – Raimundo Carrero conquistou o prêmio Oswald de Andrade, de revelação, em 1987, com o romance “Viagem no ventre da baleia”. Suas principais obras são “As sombrias ruínas da alma”; “Os segredos da ficção”; “A história de Bernarda Soledade – A tigre do Sertão”; “As sementes do sol – O semeador”;”Somos pedras que se consomem” entre outras.

O tradutor – Antonia Peeva já traduziu para o búlgaro António Lobo Antunes, Lídia Jorge, Gonçalo Manuel Tavares e telenovelas da TV Globo.

A editora – Vessela Lutskanova é uma das primeiras editoras privadas que surgiram após a queda do socialismo na Bulgária e foi criada pela escritora e editora Vesela Lutskanova, a tradutora de língua inglesa Vikhra Manova e a pintora Roritza Kramen. Há vinte anos a casa editorial publica jovens autores locais e estrangeiros, além de obras de escritores de renome internacional.

crédito da foto do autor: Rodolfo Araújo.

volutinha

Coronel de BarrancoCORONEL DE BARRANCO

O livroCoronel de Barranco narra o apogeu e a decadência do ciclo da borracha na Amazônia, que ocorre a partir do roubo de 70 mil sementes em 1876, pela Inglaterra. Apesar das notícias, tanto os seringueiros quanto os coronéis negam que a situação mudou, até que o mercado amazônico da borracha quebra e chega ao fim.  A descrição da selva e das condições de vida dos seringueiros tornou este romance uma referência para aqueles que buscam conhecer esta região do Brasil e sua história.

O autor – Cláudio de Araújo Lima foi médico psiquiatra, romancista, ensaísta e tradutor. Em 1924, envolve-se na Revolução Paulista, é detido e deportado para o Acre, onde permanece em um seringal no Alto-Purus. Baseando-se nesta experiência e nas histórias contadas por seu pai (que foi prefeito de Manaus), Cláudio de Araújo Lima escreve o romance Coronel de Barranco.

Xenaro Garcia SuárezO tradutor – Xenaro Garcia Suárez é escritor, ensaísta, editor e tradutor do inglês e português para o galego e para o espanhol. Traduziu para o espanhol outra obra de Cláudio de Araújo Lima, Ascensão e queda de Stefan Zweig.

A editora – A editora Alento foi criada em 2011, na cidade de Vigo, Espanha. Tem como meta construir um catálogo, consistente de abranja romance, poesia e  ensaios crítico-literários. Primando sempre pela qualidade. Para isso, busca editar autores consagrados, que por diferentes razões não foram ainda traduzidos para o espanhol ou o galego.

Crédito da foto do tradutor: http://www.galiciahoxe.com
Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Imigração é tema de livros brasileiros publicados na Itália e França

DESTERRO. MEMÓRIAS EM RUÍNAS memorias em ruinas

O livro – A saudade de lugares e de uma época anterior é a herança deixada pelos avós ao autor do livro. Conciliar estas referências e valores com a realidade atual brasileira é o desafio para a formação de sua identidade.

Luis_krauz_div

O autorLuis S. Krausz é professor de literatura hebraica e judaica na  USP.  Mestre em Letras Clássicas pela University of Pennsylvania (EUA), possui Doutorado e Pós-Doutorado pela USP. Além disso, é romancista, ensaísta  e vencedor do Jabuti de 2013, como tradutor alemão – português.

Vicenzo Barca (linkedin espelho)O tradutor – Vincenzo Barca é formado em medicina com especialização em psiquiatria e também em letras pela Universidade de Roma-Sapienza, onde lecionou de 2001 a 2009 a cadeira de língua e tradução – Português. Seu interesse é por literatura africana portuguesa e literatura da América Latina. Já traduziu livros de Antônio Callado, Ronaldo Wrobel, Padre Antônio Vieira, Osman Lins, Mia Couto entre outros.

A editora –  A Giuntina, sediada em Florença,  foi fundada em 1980 quando Daniel Vogelmann decide publicar A noite, de Elie Wiesel, o primeiro título da série que homenageia o pai do editor  e sobrevivente de Auschwitz,Schulim Vogelmann. Hoje, o catálogo de Giuntina inclui cinco séries e mais de 600 títulos sobre a história e a cultura judaica. A Giuntina é especializada em cultura europeia judaica e tem a missão de promover as tradições judaicas e sua história, visando promover a compreensão mútua entre diferentes culturas e religiões.

ESTIVE EM LISBOA E LEMBREI DE VOCÊem lisboa lembrei de voce

O livro – Como muitos brasileiros, Serginho, um mineiro, acredita que emigrar é a solução para todos os seus problemas. O personagem sai de Cataguases rumo a Lisboa, onde novas e velhas questões estarão presentes.

luizruffatoO autorLuiz Ruffato nasceu em Cataguases, Minas Gerais. Formado em comunicação, trabalhou no Jornal da Tarde e estreou na prosa com o volume de contos Histórias de remorsos e rancores (1988). Publicou dois livros de poesias e oito romances, entre eles Eles eram muitos cavalos e a pentalogia Inferno provisório – composta pelos romances Mamma, Son Tanto Felice (2005), O mundo inimigo (2005), Vista parcial da noite (2006), O livro das impossibilidades (2008) e Domingo sem Deus (2011).

Mathieu Dosse espelhoO tradutorMathieu Dosse é doutor em literatura comparada pela Paris VIII e autor de livros e resenhas sobre tradução. É pesquisador de Guimarães Rosa e tradutor de Vidas secas, de Graciliano Ramos.

A editora –  Criada em 1992, a editora Chandeigne é especializada em relatos de viagens (collection Magellane) e  assuntos relacionados à cultura de países de língua portuguesa. Já publicou uma série de autores brasileiros como Drummond, Ana Maria Machado, Graciliano Ramos e Vinícius de Morases

Publicado em Literatura brasileira no exterior, Programa de Apoio à Tradução | Marcado com , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Novo número da Revista do Livro será lançado com debate sobre o papel das bibliotecas no século XXI

A Fundação Biblioteca Nacional lançará nesta quinta-feira, dia 23 de julho, às 16 horas, o nº 55 da Revista do Livro. Este lançamento é o marco de retomada da célebre publicação, que em 2016 completará 60 anos. O papel das bibliotecas no século XXI é o tema da Revista e do debate promovido para o lançamento, que contará com os seguintes participantes:

Angela Monteiro Bettencourt – Coordenadora da Biblioteca Nacional Digital (FBN);

Gustavo Saldanha – Professor e pesquisador da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict);

Joaquim Marçal Ferreira de Andrade – Pesquisador da Fundação Biblioteca Nacional (FBN) e curador da Brasiliana Fotográfica;

Luiz Antonio de Almeida – Pesquisador do Museu da Imagem e do Som (MIS);

Sheila Kaplan – Editora da Revista do Livro da Biblioteca Nacional.

23 de julho, quinta-feira, às 16 hs.

Auditório Machado de Assis                                                                               Rua México, s/nº                                                                                       (acesso pelo jardim da Biblioteca Nacional)                                             Centro – Rio de Janeiro – RJ

rl55_capa_divulgac3a7c3a3o

Publicado em Eventos, Literatura de Língua Portuguesa | Marcado com , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Denise Bottmann é a vencedora do Prêmio de Tradução 2015 da ABL

A Academia Brasileira de Letras realiza hoje a cerimônia de entrega de seus prêmios literários. Este ano a vencedora na categoria Tradução foi Denise Bottmann, com o livro Aguapés (Lowland, da americana de origem bengalesa Jhumpa Lahiri) editado no Brasil pelo selo Biblioteca Azul em 2014.

Download-Aguapes-Jhumpa-Lahiri-em-ePUB-mobi-e-pdf

Saiba um pouco mais sobre a tradutora:

Denise Bottmann –Graduada em História, com mestrado em Teoria da História e doutorado em Epistemologia da História, lecionou Filosofia na Unicamp. É autora do livro Padrões explicativos na historiografia brasileira (Aos Quatro Ventos, 1997) e de artigos sobre crítica e teoria historiográfica. A partir de 1985 passou a atuar como tradutora de inglês, francês e italiano. Mantém o blog Não gosto de plágio, “contra plágios de tradução, e variedades várias”, e mais outros 16 blogs sobre literatura e tradução. Em 2013, recebeu o Prêmio Paulo Rónai, categoria tradução, da Biblioteca Nacional por Mrs. Dalloway, de Virginia Woolf (L&PM, 2012). Entre os autores que já traduziu estão Hannah Arendt, Marguerite Duras e Henry David Thoreau. Sobre o trabalho de tradução, Denise disse em entrevista concedida a Zaqueu Fogaça para o site da Livraria Saraiva:

“O grande desafio é entender de fato o texto. Entender uma frase não significa entender as palavras e o sentido visível em determinada construção. Significa entender as articulações daquela frase dentro da construção geral da obra, princípios estruturais e compositivos utilizados pelo autor. Traduzir é basicamente decifrar o texto original, seguindo uma ou mais chaves de leitura, e reconstituir essa decifração num outro texto e em outra língua”.
http://www.saraivaconteudo.com.br/Materias/Post/58966)

Publicado em Eventos, Tradutores brasileiros | Marcado com , | Deixe um comentário

MACHADO DE ASSIS MAGAZINE RECEBE INSCRIÇÕES PARA NOVA EDIÇÃO

A Revista Machado de Assis – Literatura Brasileira em Tradução recebe inscrições até o dia 17 de agosto para a sua 7ª edição. A revista tem o objetivo de difundir e estimular a publicação do livro brasileiro no exterior e é uma parceria entre a Fundação Biblioteca Nacional e o Instituto Itaú Cultural. São aceitas inscrições de trechos de obras, já lançadas no Brasil, de literatura e humanidades, nos seguintes gêneros: romance, conto, poesia, crônica, livros para crianças e jovens, livro-reportagem, ensaio literário, ensaio de ciências sociais e ensaio histórico. Além de primeiros capítulos ou excertos de obras literárias, a convocatória também está aberta para textos não ficcionais como ensaios de teoria literária ou sobre a realidade brasileira. Os textos devem ser enviados já traduzidos ou para o inglês ou para o espanhol e a qualidade da tradução é um dos critérios do júri. Serão selecionados 22 textos pelo conselho editorial, mas os que não forem escolhidos para este número poderão se candidatar novamente em edições futuras.  Assim como os números anteriores, a nova edição será publicada no site da revista, em novembro de 2015.  As informações completas da convocatória e o formulário de inscrição estão disponíveis no site:  www.machadodeassismagazine.bn.br. MASSISMAG

Publicado em Literatura brasileira no exterior, Revista Machado de Assis | Deixe um comentário