Clássicos brasileiros publicados no exterior

apocalisseO livro – Uma coletânea de contos fantásticos latino americanos escritos na virada do século XIX para o XX. São cinco histórias sobre o tema do fim do mundo contadas por autores de três países: Argentina, Brasil e México. Representam o Brasil nesta coleção, O fim do mundo de Joaquim Manoel de Macedo – considerado um dos primeiros textos de ficção científica no Brasil, e Aluísio Azevedo, com o conto Demônios. A Argentina, os autores Leopoldo Lugones com Chuva de fogo e Roberto Arlt com Lua Vermelha e o México, Amado Nervo, com o conto A última guerra. Este livro é o resultado de um projeto que contou com o Apoio da Fundação Biblioteca Nacional em parceria com o Ministério das Relações Exteriores e também com o apoio do Programa “Sur” de tradução do governo argentino.

Joaquim_Manuel_de_Macedo_1866 (ABL)Os autores – Joaquim Manoel de Macedo, o autor de A moreninha – considerado o primeiro romance brasileiro, foi médico, jornalista, professor de História e Geografia no Colégio Pedro II e sócio fundado do IHGB.Aluisio_Azevedo (ABL)

Aluísio Azevedo foi diplomata, jornalista, dramaturgo e caricaturista. É o celebrado autor de O Cortiço e de O Mulato, que é considerado o primeiro romance naturalista brasileiro.

CATTARULLA_C_mapfre 2014O tradutor – Camilla Cattarulla – é escritora, professora e diretora do curso de doutorado em Estudos Euro-Americano na Universidade de Roma Tre.  Giorgio De Marchis é escritor  e professor de Literatura e Português do Brasil na Universidade Roma Tre. Como tradutor, verteu para o italiano diversas obras de escritores portugueses, brasileiros e angolanos.

isauraA escrava Isaura

O livro – O livro é representante do romantismo regionalista e foi escrito em plena campanha abolicionista. É a história de uma escrava, que nasce branca e por este motivo é apadrinhada pelos donos da fazenda que lhe educam, mas não lhe dão a liberdade. Após a morte destes, torna-se vítima de seu novo senhor, Leôncio, o filho devasso de seus antigos donos.

Bernardo_Guimarães O autor – Bernardo Guimarães foi jurista, jornalista, professor, poeta e escritor. A consagração foi conquistada em 1875, com o lançamento de “Escrava Isaura”. Foi autor de outras várias obras como “O Ermitão de Muquém”, “O seminarista” e “O Garimpeiro”. Muitos críticos consideram sua poesia Cecilia_Martini_Bonadeo-2superior a prosa e o precursor brasileiro da poesia surrealista.

o tradutor – Cecilia Martini é professora, editora e tradutora. Formada pela Università degli Studi di Roma Ter em Língua e Literatura Estrangeira, traduziu Kate Chopin, F. Scott Fitzgerald, Tabish Kahir e Raquel Ochoa.

A editora – A  Nova Delphi Livros, que está sediada em Roma, optou por um projeto cultural que também deseja ser um projeto político: propor textos capazes de estruturar resistência à cultura dominante.  Para tanto buscaram novas vozes, tanto da narrativa, como autor indiano Tabish Khair ( O ônibus parou), quanto do pensamento crítico, como o intelectual uruguaio Raúl Zibechi (Territórios em Resistência). Apresentaram pela primeira vez ao público italiano o relatório de John Reed (América vermelha ) e Jack London (Jogos de guerra  e  luta de classes).  Também estão em seu catálogo os jogos de cativeiro de Sacco e Vanzetti (Não chore a minha morte  e  os outros devem ter medo) e o volume fundamental de Paul Avrich ( Rebeldes no Paraíso) dedicados ao movimento anarquista nos Estados Unidos a partir do início dos anos 1900. Da América Latina, encontramos autores como Leopoldo Lugones ( Histórias fatal ) e Horacio Quiroga (Anaconda e senhorita Dorothy Phillips, minha esposa), Gianni Tarquini, autor da única biografia do presidente uruguaio, Pepe Mujica (Presidente impossível) e muitos outros.

volutinha


analise-do-poema-horas-vivas-de-machado-de-assis-aproximacoes-com-o-romantismo.html

O autor – Machado de Assis é o maior expoente da literatura brasileira. Foi cronista, contista, dramaturgo, jornalista, poeta, novelista, romancista, crítico e ensaísta. Fundador e primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras. Seu romance “Memórias Póstumas de Brás Cubas” de 1881 é o marco inicial do realismo no Brasil.

O livro – Seleção de contos de Machado de Assis, publicados originalmente em Papéis Avulsos (1882), Histórias sem data (1884), Várias Histórias (1896), Páginas recolhidas (1899) e  Relíquias da casa velha (1906).

machadoantologiaO tradutor – Pirkka Valkama já traduziu o autor João Paulo Cuenca com a bolsa do Programa de Apoio à Tradução da FBN.

A editora – Sammakko é uma editora finlandesa, sediada em Turku. Foi fundada em 1996.  Publica em torno de 40 novos títulos a cada ano, de autores finlandeses e estrangeiros nos mais variados gêneros literários.

Anúncios
Esse post foi publicado em Literatura brasileira no exterior, Obras apoiadas, Programa de Apoio à Tradução e marcado , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s