A necessidade de viajar

Kriton Iliopoulos*

 Penso que a melhor tradução possível de qualquer obra literária se consegue através da submersão do tradutor em realidades distintas, culturas diversas, costumes e histórias. Dessa forma, é como se o tradutor adquirisse uma dupla identidade cultural, tentando reviver, mentalmente, as vivências do autor. Por isso a necessidade de viajar e viver por um tempo no lugar descrito na obra que está sendo traduzida.

Tomei conhecimento da obra do autor, que agora estou traduzindo para o idioma grego, quando morei no Brasil. Não poderia ser de outro jeito. É um autor quase desconhecido internacionalmente.  Afonso Henriques de Lima Barreto (1881-1922) é distante no tempo e no espaço, para o leitor grego.

Entretanto, ter a sorte de encontrar uma editora disposta a publicar a minha escolha de traduzir obras de Lima Barreto para o grego foi algo raro que poucas vezes aconteceu na minha vida profissional.

O porquê da escolha deste autor e da sua obra (Os Bruzundangas) ,assim como a repercussão da primeira obra do autor publicada na Grécia (A nova Califórnia) e as opções e dilemas da tradução foram os temas de minhas participações em mesas-redondas no Rio de Janeiro e em São Paulo neste último mês, ao lado dos demais tradutores residentes.

Realizando a tradução da obra no mesmo país ao qual ela se refere, eu desejo conversar com pessoas, ouvir opiniões de especialistas, pesquisar em acervos de bibliotecas e circular nas ruas para conhecer melhor a realidade que tento verter num outro idioma. Assim como foi decisiva minha residência no Brasil para conhecer e traduzir a primeira obra de Lima Barreto em grego, agora que estou traduzindo a segunda obra é uma ótima condição realizá-la no Brasil.

__________ (4)

* Kriton Iliopoulos traduziu para o grego mais de 50 livros de autores da América Latina, Espanha e Portugal. Além dos brasileiros Luis Fernando Veríssimo e Lima Barreto, traduziu, entre outros, os argentinos Pablo de Santis, o colombiano Santiago Gamboa, a cubana Zoé Valdés, o mexicano Carlos Fuentes e o chileno Roberto Bolãno. Participa do Programa de Residência de Tradutores Estrangeiros no Brasil com a tradução de Os Bruzundangas, de Lima Barreto.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Artigos, Literatura brasileira no exterior, Residência de Tradutores. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s